Não importa o quão avançada seja a estratégia de comunicação de sua paróquia, essas dicas o ajudarão a melhorar a qualidade de sua divulgação.

Apostamos que chegando neste blog algumas pessoas e até mesmo vocês têm uma ideia bem diferente do que encontrarão aqui dentro. Isso não quer dizer que nosso título fosse confuso ou enganoso, mas a realidade é que “ampliar” é um verbo muito vasto.

Dependendo de onde sua paróquia está no espectro de conectividade, a melhoria pode sempre acontecer. Pode simplesmente seguir as etapas para enviar sua primeira comunicação para toda a comunidade ou o caso de um mega santuário com milhares de visitantes em uma página de mídia social com milhões de seguidores, entretanto a melhoria pode estar abrindo caminho em um tipo novo e revolucionário de ambiente digital.

Por isso, para apelar a todos os níveis de especialização, estamos voltando às ferramentas fundamentais que universalmente aplicáveis ​​e garantidas para aumentar a eficácia da comunicação católica. 

Vamos ao básico!

6 dicas para comunicação e divulgação eficazes da Igreja

Como mencionamos em nossa introdução, melhorar suas comunicações pode significar muitas coisas diferentes. Portanto, em vez de nos concentrarmos em táticas específicas de comunicação mágica, queremos destacar alguns dos elementos importantes que todas as comunicações eficazes têm.

Acreditamos que ficar atento aos seguintes detalhes durante a comunicação resultará em uma estratégia de comunicação mais eficaz da paróquia.

1. Diversidade

Um dos melhores indicadores de uma paróquia forte é o senso de comunidade que ela pode fomentar entre os paroquianos. Isso parece um porto seguro, um lar acolhedor, um lugar de perdão para todos? Muitas paróquias acreditam que expressam com fervor que “Todos são bem-vindos”, mas como esse sentimento está se comunicando? Você está utilizando uma linguagem inclusiva, está oferecendo material digital, está espalhando sua mensagem apenas para seu território? Ao fazer um esforço concentrado para garantir que sua mensagem ressoe com um público diverso, ela acabará por torná-la mais aplicável e eficaz para diferentes grupos de pessoas.

Por isso, produza conteúdos querigmáticos para quem está iniciando a caminhada, e de formação para quem já está em missão.  

Na Igreja há espaço para todos. 

2. Favorecer a comunicação em múltiplas plataformas

Um dos principais motivos pelos quais algumas pessoas se sentem alienadas de ambientes religiosos é a intimidação. Muitas pessoas que se identificam com um sentimento de religiosidade, mas não frequentam nenhum serviço e nenhuma igreja, o fazem por questões de comunicação, incluindo não sentirem que as homilias, sermões, mensagens se aplicam a eles. 

Muitos outros são intimidados a comparecer por medo de não saber o suficiente e serem por isso julgados. Com isto em mente, é importante abordar suas comunicações religiosas (tanto dentro como fora da missa ou celebração) como se você estivesse se dirigindo ao membro menos informado da audiência (lembrando do espaço digital). Comunique-se com vídeos, data-show, redes sociais, cartazes, sms, whatsapp, e-mail, notificação push, ou seja, múltiplas plataformas. 

Tecnicamente falando, não tenha medo de comunicar demais as referências, mensagens e relevância de homilias, sermões, orações e canções. Isso não só aumentará as chances de que todos saiam da missa com conteúdo para reflexão, mas também evita afastar as pessoas, porque não se sintam “religiosas o suficiente”.

3. Peça feedback com frequência à sua paróquia

Se ainda não o fez, é essencial que faça pesquisas regulares com seus paroquianos. Você pode fazer isso com um sistema de notificação da igreja, seja on-line (notificação push) com o aplicativo paroquial ou uma caixa de sugestões na secretaria paroquial.

Descubra do que gostam e não gostam em sua paróquia. Você pode até dar um passo adiante e usar essa pesquisa como uma forma de descobrir sobre as preferências de comunicação da sua paróquia. 

Por exemplo, talvez descubra que mais da metade de sua paróquia, de jovens e adolescentes, estaria interessada em receber informações semanais de texto de sua paróquia através de e-mail e/ou notificação push! Uma pequena mudança que requer pouco trabalho da sua parte, mas uma mudança significativa que pode aumentar significativamente o seu envolvimento.

Você não precisa reinventar a roda quando se trata de melhorar as comunicações. Às vezes, trata-se apenas de perguntar o que funciona e seguir em frente! Se  está procurando inspiração, o Pinterest disponibiliza algumas pesquisas de amostra fantásticas que podem colocar qualquer paróquia no caminho certo para começar a fazer as perguntas certas.

4. Não tenha medo de entrar na era digital

Quando você tem uma pergunta aqui em 2021, geralmente o primeiro lugar que você procura a resposta é no Google. A base de conhecimento do mundo e a soma da experiência humana estão gradualmente entrando na nuvem a cada dia. Poxa, até a Bíblia está disponível para download digital e até em versão gratuita! 

Portanto, quando as pessoas tiverem dúvidas sobre sua fé, certifique-se de que você é capaz de se comunicar com elas fora do seu próprio espaço físico. Existem várias maneiras de tornar suas comunicações digitais, algumas até gratuitas. Eis alguns dos exemplos mais fortes de criação de oportunidades de engajamento digital para sua paróquia:

  • Transmita a missa ao vivo no Facebook, YouTube ou em seu site paroquial.
  • Designe um embaixador da mídia social para citações de tweet, pedidos de oração ou mensagens importantes durante a missa (ou melhor ainda, envie um resumo do serviço por texto!) a PASCOM é ótimo para isso.
  • Crie um site onde os paroquianos podem ler blogs, bem como enviar perguntas anonimamente para você responder e postar na página.
  • Grave sua homilia/ pregação e transforme-a em um Podcast. Desta forma, os paroquianos podem ouvi-la no caminho para o trabalho!

5. Cuidado ao tamanho e ao tempo de veiculação

Estima-se que o tempo médio de atenção de adolescentes e adultos seja de cerca de 10 a 20 minutos. Isso lhe dá uma janela de tempo bem curta para transmitir sua mensagem central.Isso não se aplica apenas ao tempo gasto na igreja, mas também ao material que você cria para o exterior, incluindo boletins, blogs e vídeos.

A regra quando se trata de criação de conteúdo precisa ser: só porque você pode, não significa que você deva. Sabemos que você tem muito a dizer, mas certifique-se de respeitar o tempo das pessoas (e a capacidade de se concentrar), mantendo tudo breve.

Suponha que seu público não vai ler seu texto  de ponta a ponta, não vai terminar um vídeo inteiro ou não vai ouvir todo o seu podcast e estruture como você apresenta suas informações de acordo com seu público alvo. 

Invista em subtítulos, pausas, vinhetas, organize sua comunicação em pequenos blocos. 

6. Esteja informado e disponível

Nosso mundo está tão conectado que é difícil evitar que as esferas pessoais, políticas e religiosas colidam. Em vez de fugir das conversas do mundo, ao invés, traga-as para a sua paróquia a partir da Doutrina Social da Igreja (CLIQUE AQUI).

Use os eventos atuais como uma forma de relacionar as pessoas às suas comunicações e compartilhe sua opinião sobre elas. A maioria das pessoas que vão à igreja o fazem na esperança de ouvir sermões ou palestras que os ajudem a conectar Deus com sua própria vida.

Além disso, favorecer uma abordagem estruturada de narração de histórias para a comunicação é uma forma de captar a atenção humana.

Então, essas dicas eram exatamente o que você esperava? Elas foram pelo menos úteis? 

Sinta-se à vontade para nos dar algum feedback (veja, até nós praticamos o que pregamos)! 

Queremos caminhar ao seu lado, trocando experiências missionárias na comunicação católica. 

Podemos ajudar sua comunicação católica? 

Deixe um comentário